• Facebook
  • twitter
  • youtube

Casa da Mulher Brasileira reúne imprensa para workshop sobre os cuidados na cobertura dos casos de violência contra a mulher

Em 2/05/2019

Embora os casos de feminicídio na Região Metropolitana de São Luís tenham reduzido em mais de 50%, entre 2017 e 2018, a integração de serviços especializados para o atendimento a mulheres vítimas de violência tem encorajado as denúncias, que ganham cada vez mais espaço nos noticiários.

Os depoimentos das vítimas ganham preponderante importância nas coberturas feitas pela imprensa. Usadas para dar força e veracidade à reportagem, essas declarações exigem alguns cuidados para evitar que a repetição da violência sofrida acabe se tornando um novo trauma para a pessoa que é entrevistada.

Embora tenha a responsabilidade social de alertar, conscientizar e sensibilizar a respeito da gravidade do problema, é fundamental que a imprensa tenha um olhar mais cuidadoso ao noticiar os casos. Para garantir um alinhamento da cobertura de forma clara e mais humana, a Casa da Mulher Brasileira (CMB) realizou na última terça-feira (30), na Casa da Mulher Brasileira, o I Workshop Comunicação Humanizada: o cuidado da imprensa em casos de violência contra a mulher.

O evento aconteceu em alusão ao dia Nacional da Mulher, comemorado no dia, e reuniu a imprensa da capital para informar sobre os parâmetros éticos e jurídicos que devem ser observados nas coberturas jornalísticas. “Entendemos que é preciso mostrar, informar, mas sabemos também que é importante zelar pela memória das vítimas e dos familiares, pois a exploração de alguns aspectos não acrescenta nada em termos de informação”, destacou Susan Lucena, diretora da Casa da Mulher Brasileira.

O workshop contou com as presenças de todos os representantes dos serviços oferecidos pela unidade, como a Delegacia Especial da Mulher, as Varas Especializadas, o Ministério Público, a Defensoria Pública, a Secretaria de Estado da Mulher e a Patrulha Maria da Penha.

Além dos alertas sobre os cuidados com imagens e voz, os profissionais da imprensa tiveram a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre o funcionamento da CMB, os últimos números sobre os crimes de gênero e as fontes especializadas disponíveis na unidade. O jornalista Guilherme Lima, da TV Ufma, adorou a iniciativa. “Sabemos que violência de gênero é uma pauta muito delicada e toda informação que puder ajudar a tornar nosso trabalho ainda mais útil e eficiente é sempre bem-vinda”, garantiu o profissional.

A titular da pasta da Mulher reforçou a necessidade de ter a imprensa como grande aliada na defesa dos direitos das mulheres. “Sabemos da importância e do papel da imprensa para divulgar as políticas de enfrentamento à violência contra a mulher e por isso vamos ter sempre momentos como este para garantir uma cobertura jornalística mais humana e que não revitimize a mulher em situação de violência”, pontuou Ana Mendonça.

 

Endereço

Avenida Jerônimo de Albuquerque, s/n
Palácio Henrique de La Rocque – 2º Andar
Jardim Renascença – São Luís – MA
CEP: 65070-901

HORÁRIO DE ATENDIMENTO
De segunda à sexta, das 13h às 19h

OUVIDORIA DA MULHER
(98) 98427-1002

(98) 98427-3681

De segunda à sexta, das 09h às 19h

Localização

Desenvolvimento © SEATI | www.seati.ma.gov.br