• Facebook
  • twitter
  • youtube

II Seminário Estadual de Saúde das Mulheres do Maranhão

Em 31/03/2017

seminário saúdePriorizando e fortalecendo a atenção à saúde da mulher, o Governo do Estado investe na promoção e na melhoria da qualidade de vida das mulheres do Maranhão. Nesta quinta-feira (30), as Secretarias de Estado da Mulher (Semu) e da Saúde (SES) realizaram o II Seminário Estadual de Saúde das Mulheres do Maranhão, no auditório do Laboratório Central do Maranhão (Lacen), em São Luís.

O Maranhão intensificou o debate sobre a política da mulher e o fortalecimento das ações, dialogando com os gestores e redes dos movimentos sociais de mulheres. Os avanços e os desafios estão sendo deliberados no seminário para a 2ª Conferência Estadual de Saúde das Mulheres do Maranhão, que será realizada nos dias 8 e 9 de junho, em São Luís.  Com o tema “Direito à Saúde: uma conquista das mulheres e uma política de estado”, as atividades têm a participação de 19 regionais de saúde, 19 coordenadorias de Saúde da Mulher, gestoras municipais dos organismos de políticas para as mulheres e representantes da sociedade civil e movimentos sociais de mulheres. Avança nos debates a formulação da política estadual de saúde nesta área.

Esta semana, o Governo do Estado entregou dois novos importantes serviços voltados para saúde da mulher: o segundo Centro Sentinela do estado, que é o primeiro na cidade de Balsas, e a primeira UTI Materna na Maternidade Marly Sarney, em São Luís. A UTI Materna funcionará diariamente, 24 horas por dia. A unidade de saúde dispõe de oito leitos às pacientes do Hospital e Maternidade Marly Sarney e demais referências encaminhadas por meio da Central de Regulação de Leitos do Estado do Maranhão.A chefe do Departamento de Atenção à Saúde da Mulher da SES, Emanuela Brasileiro de Medeiros, participou do debate sobre a Política Estadual de Saúde da Mulher. “A conferência estadual de saúde para mulheres fortalecerá a implementação da política no estado. Nós temos como meta, conjuntamente com a Secretaria de Estado da Mulher, construir e elaborar junto com os movimentos sociais, dando voz a diversidade, a política estadual de atenção à saúde da mulher”, disse.

O evento reuniu a sociedade civil organizada, órgãos públicos, movimentos sociais para discutir a saúde da mulher maranhense

O evento reuniu a sociedade civil organizada, órgãos públicos, movimentos sociais para discutir a saúde da mulher maranhense

“Entre os avanços e desafios, nós temos priorizado a questão das mulheres em situação de violência, ampliando o acesso, qualificando o serviço saúde de referência e, também, priorizamos a redução da mortalidade materna, com qualificação da atenção básica, dos serviços e a implantação de oito leitos de UTI Materna na Maternidade Marly Sarney, que é nossa referência de alto risco para todo o estado”, acrescentou Emanuela Brasileiro.

Para a advogada Ana Carolina Barbosa, da assessoria da SES, o seminário é a preparação para conferência e campo de dialogo com os movimentos sociais. “A conferência foi convocada agora, no dia 8 de março, pelo governador, para 8 e 9 de junho. Nesse meio tempo, a gente precisa construir com os movimentos atualizações para nossa política estadual de saúde e também contribuir com a conferência nacional de saúde das mulheres”, disse.

seminário saúde 3

Secretária Laurinda Pinto (SEMU) fala sobre as políticas de Governo para as mulheres

Carmem Belfort Pinheiro, assessora de Planejamento da SES, destacou a importância do diálogo e o atendimento a mulher como prioridade. “O governo tem priorizado a atenção para mulher em todas as áreas, seja na saúde, educação, assistência social, entre outras”. Também participou do seminário, Kátia Souto, assessora técnica do Ministério da Saúde, apresentando os principais eixos da 2ª Conferência Nacional de Saúde das Mulheres.

A secretária de Estado da Mulher, Laurinda Pinto, destaca a atuação integrada com a SES na área de formulação de diretrizes para políticas públicas para mulheres.  “Como a nossa secretaria tem responsabilidade na garantia de direitos, esse dialogo serve para garantir que atenção integral à saúde da mulher seja pensada e estruturada a partir da realidade concreta das maranhenses. Por isso, desde que nós iniciamos o governo, trabalhamos integrados com a SES. Nessa conferencia estadual vamos poder estabelecer as diretrizes mais consistentes para Política de Estadual de Atenção à Saúde da Mulher, que infelizmente nós não recebemos o estado com essa política estruturada”.

Para Raimunda dos Santos Silva, da Associação de Saúde da Periferia (ASP), o debate com os movimentos sociais é muito importante. “O debate tira a mulher da invisibilidade e mostra as características de cada atuação seus problemas e necessidades”, disse.

gestora aldeias altas

Gestora da Mulher do município de Aldeias Altas

A Gestora da Mulher do Município de Aldeias Altas, Italine Ramos, falou sobre a importância do seminário. “O Governador Flávio Dino está de parabéns pela iniciativa. Sabemos os desafios que as políticas para as mulheres enfrentam mas sabemos que essas políticas passam pela educação, segurança e saúde. Estou levando estou levando para meu município muito conhecimento e informação”, concluiu a gestora.

Conferência

Em São Luís, a 2ª Conferência Estadual de Saúde da Mulher (Cesmu) reunirá, nos dias 8 e 9 de junho, cerca de 400 mulheres, gestoras, de entidades de classe, movimentos sociais e instituições voltadas à saúde, que deliberarão sobre as diretrizes para políticas públicas e a composição da delegação maranhense à 2ª Conferência Nacional de Saúde da Mulher, prevista para 1º a 4 de agosto, em Brasília.

Endereço

Avenida Jerônimo de Albuquerque, s/n
Palácio Henrique de La Rocque – 2º Andar
Jardim Renascença – São Luís – MA
CEP: 65070-901

HORÁRIO DE ATENDIMENTO
De segunda à sexta, das 13h às 19h

OUVIDORIA DA MULHER
(98) 98427-1002

(98) 98427-3681

De segunda à sexta, das 09h às 19h

Localização

Desenvolvimento © SEATI | www.seati.ma.gov.br