• Facebook
  • twitter
  • youtube

Mulheres do Maranhão participam da Marcha das Margaridas

Em 12/08/2015
Secretária de Estado da Mulher Laurinda Pinto com a Beatriz, Iolanda e Conceição, mulheres do campo do Maranhão

Secretária de Estado da Mulher Laurinda Pinto com a Beatriz, Iolanda e Conceição, mulheres do campo do Maranhão

Elas vão chegando aos poucos e de todos os lugares, de carro, a pé de ônibus, dezenas, centenas milhares de mulheres reúnem –se mais uma vez para a Marcha das Margaridas. A marcha tem a participação de 27 federações e 11 entidades parceiras. Entre os pontos principais da pauta, estão o fim da violência contra a mulher e o combate ao uso de agrotóxicos. Na quarta-feira (12.08), a presidenta Dilma Rousseff participará de um ato, no estádio Mané Garrincha, onde apresentará o compromisso do Governo Federal com as reivindicações listadas na pauta do movimento.

 

 

Esplanada em Brasília tomada pelas trabalhadoras rurais de todo país

Brasília tomada pelas trabalhadoras rurais de todo país

A Marcha das Margaridas é considerada a maior manifestação pelos direitos das mulheres no mundo. Para a secretária de Mulheres Rurais da Contag, Alessandra Lunas, nos últimos meses o conservadorismo em diversos setores da política tem dificultado o acesso das mulheres a uma série direitos, como o direito a educação, participação igualitária na política e ocupação de cargos nas esferas decisórias do país – além de colocar em risco direitos sociais já conquistados e a própria democracia. “Chegamos ao ponto de assistir a agressões machistas feitas à presidenta da República, sem nenhum pudor”, afirma.

Mulheres participando da Conferência sobre Políticas Públicas para Trabalhadoras Rurais

Mulheres participando da Conferência sobre Políticas Públicas para Trabalhadoras Rurais

Para ela, os ataques são um reflexo das diversas formas de violência dirigidas às mulheres no Brasil. Em relação à presidenta Dilma, a dirigente da Contag avalia também que o machismo é um fator de peso nessa pressão política focada exclusivamente nela. E isto tem sido demonstrado em diversos momentos, como o tratamento desrespeitoso contra ela, manifestado em diversos momentos, como o que aconteceu durante a abertura dos jogos da Copa do Mundo e as próprias piadas envolvendo a figura da presidenta.

 

Uma das diretrizes políticas do Governo Flávio Dino é garantir total assistência às mulheres em situação de violência, através da implementação do Pacto de Enfrentamento à Violência contra a Mulher e no diálogo para estruturar os equipamentos públicos para o atendimento às mulheres.

Maranhão presente na Marcha das Margaridas 2015

Maranhão presente na Marcha das Margaridas 2015

A Secretária de Estado da Mulher Laurinda Pinto está juntamente com centenas de mulheres do campo do Maranhão acompanhado as manifestações e as conferências sobre políticas públicas, violência, saúde das mulheres entre outros. Para a secretária a Marcha é um espaço de diálogo e reflexão. “A Marcha das Margaridas é um momento de escuta e aprendizado permanente”.

Secretária Laurinda Pinto em marcha com as Margaridas

Secretária Laurinda Pinto em marcha com as Margaridas

 

 

“Estamos participando efetivamente junto a nossa delegação de mulheres, , especialmente as rurais e quebradeiras de coco… Foi um momento de grande emoção fazer uso da palavra durante a Marcha e reafirmar  o nosso compromisso com a luta contra todas as formas de exclusão e pela defesa aguerrida pela Emancipação da população feminina”. disse a Secretária de Estado da Mulher Laurinda Pinto.

A plenária final da Marcha das Margaridas terá a participação da Presidenta Dilma. A expectativa é que mais de 70 mil mulheres estejam presentes em Brasília para participarem da Marcha.

Secretária Laurinda Pinto com a Deputada Federal Jô Morais (PCdoB-MG)

Secretária Laurinda Pinto com a Deputada Federal Jô Morais (PCdoB-MG)

Sobre Margarida Maria Alves

O assassinato ainda impune da líder sindical Margarida Maria Alves em 1983 deu origem a Marcha que em 2015 está na sua quinta edição. A data é uma reflexão e avaliação sobre o progresso dos direitos trabalhistas para as mulheres.

Em 12 de agosto de 1983, Margarida Maria, trabalhadora rural, presidente do Sindicato de Trabalhadores rurais de Alagoa Grande, na Paraíba, foi assassinada por um pistoleiro, a mando dos usineiros da região do brejo paraibano. Margarida havia movido 73 ações por direitos trabalhistas, em favor dos trabalhadores rurais das usinas da região e esse teria sido o motivo do crime. Margarida foi uma das mulheres pioneiras das lutas pelos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras rurais no Brasil.

 

 

 

Mulheres Maranhenses presentes na Marcha das Margaridas

Mulheres Maranhenses presentes na Marcha das Margaridas

70 mil mulheres presentes na Marcha

70 mil mulheres presentes na Marcha

Endereço

Avenida Jerônimo de Albuquerque, s/n
Palácio Henrique de La Rocque – 2º Andar
Jardim Renascença – São Luís – MA
CEP: 65070-901

HORÁRIO DE ATENDIMENTO
De segunda à sexta, das 13h às 19h

OUVIDORIA DA MULHER
(98) 98427-1002

(98) 98427-3681

De segunda à sexta, das 09h às 19h

Localização

Desenvolvimento © SEATI | www.seati.ma.gov.br